Projeto instala comedouros para animais de rua em SP; saiba como ajudar

O “AlimentaCão” consiste na instalação e monitoramento de comedouros/bebedouros nas ruas de Americana, no interior de São Paulo.

O projeto que tem apoio da prefeitura, está em funcionamento desde março e já possui três pontos instalados em áreas públicas com maior número de animais abandonados.

Os kits de comedouros/bebedouros que são canos de PVC adaptados têm capacidade para 4 kg de ração, que deve ser reposta diariamente.

 O financiamento do “AlimentaCão” é realizado por empresas da iniciativa privada e por voluntários.

Como participar

Voluntários e patrocinadores que desejam participar do AlimentaCão devem preencher o formulário disponível no site do projeto ou no aplicativo.

Depois de passar por uma entrevista e assinar termo de compromisso em monitorar o ponto, uma equipe fará uma visita técnica ao local antes de realizar a instalação.

“O ponto é custeado pelo mantenedor ou empresa apoiadora”, informa o site.

Cada ponto custa em torno de R$ 80,00 e pode ter custo adicional se houver a necessidade de cobertura para o local escolhido.

A manutenção do ponto

Depois que o voluntário ou empresa comprou o kit que já foi adequadamente instalado:

“A manutenção, limpeza, troca da água e abastecimento são feitos pelo tutor ou mantenedor, que poderá solicitar ajuda da população vizinha ao ponto instalado.” Por meio de doações de ração de moradores para manter os comedouros e apoio de petshops, clínicas veterinárias e empresas especializadas em produtos agrícolas, a iniciativa deve ser ampliada e novos pontos serão instalados pela cidade.

O que você achou da ideia?

Se você gostou da inciativa, compartilhe!

Artigo originalmente publicado em Awebic.

Página em resposta a jogo Baleia Azul lança desafios de valorização da vida

“Com uma caneta rosa, escreva na pele de uma pessoa quanto a ama”; “Pense na situação que te deixou mais feliz na sua vida… Pensou? Agora aproveite essa lembrança. ;-)”. São desafios desse tipo que a página Baleia Rosa propõe aos internautas como uma resposta positiva ao jogo suicida que tem dado o que falar nos últimos dias.

“Eu fiquei muito impressionada quando soube desse jogo. Eu e um amigo decidimos então criar essas atividades que fossem positivas, que ajudassem na autoestima das pessoas. A gente queria incentivar as pessoas a fazerem bem para outras”, conta a idealizadora da iniciativa, uma publicitária de 30 anos que preferiu não se identificar porque tem recebido muitas mensagens e não quer dar um rosto à baleia.

Criada no dia 13, a página já tem cerca de 2 mil seguidores e está gerando uma corrente do bem entre os usuários que, além de compartilhar os desafios, tiram fotos e postam nos comentários para provar que cumpriram as missões.

Além dos compartilhamentos, a página também tem recebido muitas mensagens de adolescentes pedindo ajuda. Por isso, a dupla de criadores buscou uma psicóloga que está respondendo às mensagens mais complexas. Eles estão surpresos com a repercussão, mas felizes. “A gente quer que isso se espalhe, que vire algo bom para as pessoas, que possa ajudar essas crianças”.

 

Fonte: Uol

Imagem: Reprodução

Rock por Aleppo terá shows com arrecadação destinada às crianças sírias

Sabia que uma criança síria de até seis anos de idade nunca viu a paz? É isso mesmo. A guerra no país já dura tempo suficiente para impactar toda uma geração ou, por enquanto, até 7 milhões de meninos e meninas que são frutos da maior crise humanitária do mundo. Com o intuito de não ser mais passivo em relação ao assunto, o diretor de arte brasileiro Christian Laurito resolveu agir e está juntando apoiadores para o Rock por Aleppo, shows de rock no Rio de Janeiro em prol de arrecadar recursos para a ONG Save the Children, que atua diretamente no país afetado e aceitou a parceria.

O evento vai acontecer na Fundição do Progresso, no dia 29 de abril “Tivemos meses de conversas com a ONG no Reino Unido e com escritório do México, que é quem cuida da América Latina, até que finalmente nos permitissem usar a marca”, comentou Laurito. Além disso, quem comprar ingresso meia entrada também pode levar 1 kg de alimento não perecível para doar ao projeto PARES – Programa de Atendimento a Refugiados, da Cáritas do Rio de Janeiro.

Mesmo que músicos, profissionais envolvidos e o local escolhido não recebam nenhuma parte do que for arrecadado, o evento ainda precisa de R$ 50 mil para acontecer e Laurito explica o por quê: “a casa é muito grande e os gastos com infraestrutura de um show desse porte são caros. Temos custos fixos com energia, seguranças, médicos, limpeza e uma série de outros gastos que não temos como escapar”. Para suprir essa falta financeira, o grupo organizou um financiamento coletivo (acesse aqui). Por R$ 80 o doador garante um ingresso antecipadamente, mas é possível colaborar com qualquer quantia. Depois, serão vendidos apenas pela Fundição Progresso e devem ser um pouco mais caros.

Até o momento já foram confirmadas apresentações das bandas Detonautas, Tihuana, The HighJack e Contratake, e do músico Caio Corrêa, do Scracho. O vocalista do Biquíni Cavadão, Bruno Gouveia, e o ator André Ramiro (Tropa de Elite) entram como apoiadores.

Artistas interessados em fazer participação especial são bem vindos e devem procurar a organização do festival. Além disso, também estão a procura de um ou uma mestre de cerimônias para apresentar e conduzir o evento no palco.“Vale frisar que todos os artistas envolvidos no “Rock por Aleppo” toparam de primeira participar do evento destinando seus cachês para o Save the Children”, ressaltou Laurito.

Questionado sobre a mensagem que o evento quer passar, o organizador do festival foi muito claro. “Que guerras são sempre a pior forma de se resolver um conflito. Quem costuma pagar o preço dessas disputas pelo poder são quase sempre civis inocentes, ou o que é pior neste caso, crianças. Sempre foi assim. Quem não se lembra daquela famosa e triste foto da menina correndo nua com o corpo queimado no Vietnã? Essa foto tem mais de 40 anos e parece que nós, como humanidade, ainda não aprendemos nada. Nosso festival é um chamado à ação e ao mesmo tempo um pedido de paz. Nosso tom é de esperança, pois vamos levar ajuda às crianças, que vão sempre representar o desejo de um futuro melhor”.

Créditos: Razões para Acreditar

Foto: Divulgação

Ação social: IT Universe e o Lar Abrigo Saint Germain

O Lar Abrigo Saint Germain oferece atendimento socioeducativo às crianças e adolescentes de 0 a 17 anos e 11 meses, vítimas de abandono, maus tratos e orfandade, encaminhadas pelas Varas da Infância e Juventude e pelos Conselhos Tutelares.

O Abrigo é medida provisória e excepcional, utilizável como forma para a colocação em família substituta ou reintegração à família natural, não implicando em privação de liberdade.

Atuando na área da Infância e da Juventude há 7 anos, o Lar Abrigo Saint Germain atende anualmente em média 20 crianças e adolescentes, priorizando a preservação dos vínculos familiares e reintegração dos mesmos na comunidade (inclusão social), possibilitando oportunidades para o exercício da cidadania através do entendimento de suas responsabilidades e direitos.

Ciente de sua responsabilidade social e sempre engajada em projetos que visam a valorização de pessoas, a IT Universe envolveu seus colaboradores em um projeto para levantar doações para o abrigo.

Brinquedos, alimentos e produtos de higiene pessoal estão entre os itens arrecadados, na ação que contou com a participação de todo o time.

A entrega foi realizada pessoalmente, representada pela equipe de Recursos Humanos, que teve a oportunidade de passar uma tarde com as crianças do abrigo levando não apenas as doações, mas também o carinho de toda a empresa.

Inspire-se com as fotos e ajude você também:

Lar Abrigo Saint Germain
Site: http://larsaintgermain.org.br/
Telefone: +55 11 3906-8474
E-mail: contato@larsaintgermain.org.br

 

 

Ação Social: IT Universe e ABADS

A Associação Brasileira de Assistência e Desenvolvimento Social – ABADS (antiga Pestalozzi de São Paulo) tem mais de 60 anos de atuação. É uma Instituição Filantrópica, de utilidade pública Federal, Estadual e Municipal, que atende crianças e jovens (de 0 a 22 anos) com deficiência intelectual e autismo, nas áreas de saúde, educação, assistência social e emprego apoiado.

As ações desenvolvidas pela ABADS são referências para a construção de uma sociedade inclusiva (mostrando sua importância no cenário do terceiro setor), pois promovem disseminação de informações, suporte às famílias e formação de profissionais. Dentre as inúmeras atividades de inclusão que a ABADS desenvolve está um projeto inovador – o Emprego Apoiado – desenvolvido pela instituição desde o ano de 2006, onde mais de 200 jovens com deficiência intelectual e autismo foram incluídos no Mercado de trabalho. Sucesso na Inclusão Social!

Como forma de apoio ao Nosso Universo, a IT Universe empresa brasileira de TI, realizou a doação de computadores para as mais de 850 crianças atendidas pela instituição.

Assim como a IT Universe, você também pode colaborar. Visite o site http://www.abads.org.br ou ligue para (11) 2905-3045 e ajude!

Existem várias formas de ajudar a ABADS realizar esse trabalho maravilhoso e auxiliar no tratamento que tantas crianças e jovens necessitam para serem mais independentes e felizes.

O ambiente da ABADS é excelente! Veja as fotos da visita: