O que sustentabilidade e inovação tem em comum

De um lado ouvimos todos os dias, ecoando de todos os cantos falar em inovação. É fato comprovado que de tempos em tempos, não adianta continuar fazendo as mesmas coisas pois elas deixam de ser suficientes para manter e atrair novos clientes e mercados. O mundo se transforma a cada momento, as relações interpessoais ou os próprios agentes da ação se transformam. E, quando o entorno muda, a forma de pensar e fazer também precisa evoluir. Inovar.

Do outro lado quem olha para o presente e o futuro do planeta enxerga recortes de qualidade de vida, sustentabilidade e impacto ambiental – preocupações que em geral são aumentadas nas pessoas que estudam e trabalham na área. Ao juntar as peças do quebra-cabeça, elas tentam entender o cenário e encontrar formas técnicas, físicas e comportamentais de evitar e combater poluição, escassez de recursos e propor soluções tecnológicas e programas de preservação que respeitem populações, culturas tradicionais, fauna, flora, água, ar.

Em tese, os dois lados desejam o desenvolvimento sustentável, seja ele humano, comercial, industrial ou de infraestrutura e ecológico. Sempre relacionado com satisfazer a necessidade dos clientes, resolver seus problemas e lhes proporcionar uma melhor qualidade de vida.

Então se juntarmos os dois lados, poderíamos concluir que os caminhos que conduzem à sustentabilidade são os caminhos para o futuro.

De fato, se observarmos, algumas empresas já se conscientizaram que a matéria-prima não é infinita, não somos autossuficientes em energia e para estar de acordo com normas regulatórias e auditorias é importante envolver cada vez mais cedo nos negócios áreas relacionadas ao meio ambiente.

A gestão ambiental ou gerência das relações ecológicas nas empresas é capaz de estabelecer uma ligação entre as partes, promover a comunicação entre os criadores dos produtos, os compradores, gestores, funcionários, pessoas da sociedade a fim de obter resultados inovadores e índices corretos.

Para os profissionais envolvidos e algumas empresas o sucesso desta união vai além da busca por remuneração, status e segurança. Existe uma preocupação com o sucesso subjetivo, pela busca por um significado, o orgulho do trabalho alinhado aos valores do indivíduo, pela resolução real dos problemas, pela incansável satisfação de servir. Nesse sentido, a área socioambiental tem ganhado algum espaço entre empresas inovadoras reunindo características bastante contemporâneas e se abrindo para novas modalidades de atuação.

A comercialização de seus produtos tem utilizado da educação ambiental, da conscientização e/ou da orientação ao consumidor como oportunidade de mostrar as vantagens de seus produtos sobre seus concorrentes que não incorporam os padrões ecológicos tanto nos processos de fabricação como o no descarte final de suas embalagens.

Ao mapear tendências de desenvolvimento de novos produtos até 2020, uma pesquisa mostrou que a sustentabilidade é uma das mais promissoras. Inovação e Sustentabilidade, compartilham o desafio de combinar desenvolvimento econômico e preservação ambiental e de coexistirem em diversos cenários, atuando de forma complementar e não em lados opostos.

Artigo por: Renata Pifer

Fonte: Portal Administradores

 

Em parceria com índios, fundação belga cria supermercado ecológico no Acre

Com o objetivo de diminuir a poluição e a degradação do meio ambiente, a Fundação Belga House of Indians Foundation, em parceria com os índios Ashaninka no Acre, inaugurou um ecomercado no município de Marechal Thaumaturgo, interior do estado. Segundo a fundação, o empreendimento sustentável, batizado como TrocTroc, é o primeiro do gênero a ser instalado no país.

O mercado foi inaugurado no dia 31 de março e fica na Rua Raimundo Bezerra, no Centro do município. O projeto é patrocinado pela House of Indians Foundation.

A ideia, de acordo com os idealizadores, é construir uma consciência de reciclagem para os moradores do município e incentivar a economia local, já que os produtos vendidos são nativos da região. Os moradores vão poder trocar materiais plásticos e garrafas de alumínio por alimentos.

O idealizador do projeto é Marcelo Valadão, presidente da fundação, que tem sede em Bruxelas, na Bélgica. Ele conta que a ideia surgiu depois de uma parceria com o líder indígena da tribo Ashaninka, Benki Piyãko.
“Esse projeto surgiu com o exemplo do povo Ashaninka quando conheci o Benki em 1993 e, através das palavras dele, idealizei o projeto com uma influência do povo europeu. Na Europa temos máquinas em que você coloca o plástico e sai um ticket para trocar por alimento, então, trouxemos uma maneira simplificada do mesmo conceito”, explicou.

O líder indígena Benki Piyãko explica como o projeto vai funcionar. Segundo ele, cada quilo de plástico tem o valor de R$ 0,50 que vão ser revestidos em alimentos no mercado. Entre os alimentos disponibilizados no mercado estão frutas, arroz, feijão da região, legumes e verduras, produzidos no município acreano.
“Isso gera conscientização e economia. Os produtos serão regionais, então, vamos valorizar o produtor rural que terá seu produto exposto, além da limpeza da nossa cidade e rios. Vejo que essa iniciativa vai beneficiar toda a população da cidade. Percebo que temos uma carência muito grande em vendas regionais e pretendemos mudar isso, além de termos uma cidade limpa”, completou.

Após serem trocados pelos produtos do ecomercado, o lixo reciclável será enviado para Rio Branco onde passará pela reciclagem e os recursos gerados serão novamente investidos na cidade.

“O mais rico desse processo é que além da coleta, você gera educação, economia, e menos gastos na limpeza da cidade. Eu, como prefeito, vejo isso com uma iniciativa inédita e revolucionaria”, afirma o prefeito da cidade Isaac Piyãko.
Quem também aprovou a ideia foi a radialista Daniela Torres, de 27 anos. Ela acredita que a iniciativa deve beneficiar o meio ambiente e famílias carentes da região.

“Temos muitas famílias carentes aqui, bastante mesmo. Isso vai ser uma forma de gerar renda e preservar o meio ambiente na cidade. Imagina quantas famílias carentes vão poder ter o que comer devido a essa troca e os pequenos produtores que vão ser beneficiados, é um projeto que tem tudo para dar certo”, disse.
Outro que também acredita na inovação é o funcionário público Deusimar Ferreira, de 40 anos. Ele disse que foi na inauguração para conferir de perto o ecomercado.

“Tinha que vir ver, porque é algo que nunca teve. É muito produtivo em todos os sentidos para a cidade e para a população, pois temos que pensar nas florestas, nos rios e principalmente nas pessoas. Nunca tinha visto falar em trocar lixo por comida, isso é um avanço grande”, afirma.

Forma de troca

Cada quilo de material reciclável (garrafas pet, latas de alumínio e os lacres das garrafas pets) valem R$ 0,50 que são revertidos na troca de alimentos dentro do mercado. Cada garrafa pet limpa e amassada tem um acréscimo de 20% no valor final do peso.

Um grupo de 15 europeus esteve presente na inauguração do ecomercado para ajudar a divulgar o projeto e ensinar a comunidade como realizar as trocas.
House of Indians Foundation

A House of Indians Foundation é uma fundação com sede em Bruxelas, na Bélgica, que tem o objetivo de defender os índios em todo o mundo e criar um vínculo de cooperação entre a Europa e os povos das florestas. Um dos seus princípios é facilitar o acesso do povo europeu a estas comunidades e abrir a possibilidade de levar tecnologia, material e conhecimento para o melhoramento das condições de vida.

O presidente da fundação é o brasileiro Marcelo Valadão, que atualmente vive na Bélgica e que faz o intermédio entre os indígenas e os europeus em busca da preservação e respeito à cultura dos povos.

Via: G1
Foto: Anny Barbosa/G

Dia Mundial da Saúde e a sustentabilidade

O Dia Mundial da Saúde foi criado em 1948 pela Organização Mundial da Saúde para conscientizar a população sobre questões relacionadas à qualidade de vida das pessoas. Mas, você pode estar se perguntado: o que isto tem a ver com sustentabilidade? Tudo! Ao adquirir hábitos sustentáveis em sua casa ou condomínio, você diretamente estará promovendo saúde e contribuindo para a melhoria da qualidade de vida das pessoas.

Uma atitude importante é melhorar a qualidade do ar dos ambientes! Promover maior ventilação ajuda bastante, pois aumentará a troca de ar com o ambiente externo, renovando o oxigênio e diminuindo a propagação de doenças respiratórias. Investir em bons filtros de ar em ambientes fechados também ajuda na purificação do ar.

Alimentar-se bem é fundamental para o aumento da qualidade de vida, por isso, pense na possibilidade de montar uma horta em sua casa! Seja uma horta em vasos ou vertical, plantar o que será consumido é a garantia de ingerir alimentos mais frescos, limpos e livres de agrotóxicos.

Outra dica que alia sustentabilidade à promoção de saúde é organizar um grupo de pessoas para doação de sangue! Os hemocentros sempre estão precisando de novas doações e a participação de todos é fundamental.

Promover saúde também é ser sustentável, portanto, inserir atitudes que contribuem com o meio ambiente e aumentam nossa qualidade de vida devem fazer parte do nosso dia a dia. Só depende da gente! Compartilhe essas informações com seus vizinhos e amigos!

 

Artigo publicado originalmente em: Condomínios Verdes

Pequena turbina eólica feita de bacias plásticas traz energia limpa para uma vila no Vietnã

Pequena turbina eólica feita de bacias de plástico e impressoras velhas está ajudando a iluminar as casas de famílias vietnamitas que vivem em favelas ao longo do Rio Vermelho, a cerca de 5 km do distrito empresarial central de Hanói.

As bacias plásticas formam as pás para os cataventos e os motores de impressoras viram geradores elétricos que carregam as baterias de motocicletas velhas com energia suficiente para acender lâmpadas Led com um brilho equivalente a uma lâmpada de 45 Watt.

Embora a energia gerada seja pequena, faz uma diferença significativa para as famílias, porque eles vivem longe de uma estação de energia e tinham de racionar a energia por causa do alto custo. “É o suficiente para iluminar a casa da minha família e outras famílias por aqui”, disse Bui Van Ha, que ganha cerca de US $ 4,50 por dia, em média, com a venda de peças cerâmicas, para alimentar sua família de quatro pessoas.

A pequena turbina eólica inovadora, que abastece de energia limpa as casas da aldeia flutuante, é ideia de Le Vu Cuong, arquiteto e professor de uma universidade de Hanoi.

Seu gerador movido a vento faz uso de materiais que são baratos e fáceis de substituir e trabalha com uma velocidade do vento de apenas 0,4 metros por segundo. “Queremos apoiar a comunidade de baixa renda”, disse Cuong à Reuters. “Agora eles podem usar mais eletricidade, sem quaisquer custos adicionais, com energia proveniente de fontes renováveis.”

O Vietnã produz apenas 140 MW de energia solar e eólica a cada ano, mas as autoridades do país dizem que eles tem a capacidade de produzir 500 vezes mais. Cuong espera aumentar a produção de energia limpa, e está à procura de doadores para ajudar a aliviar os custos de eletricidade de outras famílias de baixa renda. O aumento do número de horas de eletricidade disponível aumentou enormemente a qualidade de vida da população local com uma solução verde, barata e simples, e que ainda pode ser feita pelos próprios moradores.

Veja o vídeo sobre a pequena turbina eólica feita de bacias plásticas:

Via: SustentArqui

Rock por Aleppo terá shows com arrecadação destinada às crianças sírias

Sabia que uma criança síria de até seis anos de idade nunca viu a paz? É isso mesmo. A guerra no país já dura tempo suficiente para impactar toda uma geração ou, por enquanto, até 7 milhões de meninos e meninas que são frutos da maior crise humanitária do mundo. Com o intuito de não ser mais passivo em relação ao assunto, o diretor de arte brasileiro Christian Laurito resolveu agir e está juntando apoiadores para o Rock por Aleppo, shows de rock no Rio de Janeiro em prol de arrecadar recursos para a ONG Save the Children, que atua diretamente no país afetado e aceitou a parceria.

O evento vai acontecer na Fundição do Progresso, no dia 29 de abril “Tivemos meses de conversas com a ONG no Reino Unido e com escritório do México, que é quem cuida da América Latina, até que finalmente nos permitissem usar a marca”, comentou Laurito. Além disso, quem comprar ingresso meia entrada também pode levar 1 kg de alimento não perecível para doar ao projeto PARES – Programa de Atendimento a Refugiados, da Cáritas do Rio de Janeiro.

Mesmo que músicos, profissionais envolvidos e o local escolhido não recebam nenhuma parte do que for arrecadado, o evento ainda precisa de R$ 50 mil para acontecer e Laurito explica o por quê: “a casa é muito grande e os gastos com infraestrutura de um show desse porte são caros. Temos custos fixos com energia, seguranças, médicos, limpeza e uma série de outros gastos que não temos como escapar”. Para suprir essa falta financeira, o grupo organizou um financiamento coletivo (acesse aqui). Por R$ 80 o doador garante um ingresso antecipadamente, mas é possível colaborar com qualquer quantia. Depois, serão vendidos apenas pela Fundição Progresso e devem ser um pouco mais caros.

Até o momento já foram confirmadas apresentações das bandas Detonautas, Tihuana, The HighJack e Contratake, e do músico Caio Corrêa, do Scracho. O vocalista do Biquíni Cavadão, Bruno Gouveia, e o ator André Ramiro (Tropa de Elite) entram como apoiadores.

Artistas interessados em fazer participação especial são bem vindos e devem procurar a organização do festival. Além disso, também estão a procura de um ou uma mestre de cerimônias para apresentar e conduzir o evento no palco.“Vale frisar que todos os artistas envolvidos no “Rock por Aleppo” toparam de primeira participar do evento destinando seus cachês para o Save the Children”, ressaltou Laurito.

Questionado sobre a mensagem que o evento quer passar, o organizador do festival foi muito claro. “Que guerras são sempre a pior forma de se resolver um conflito. Quem costuma pagar o preço dessas disputas pelo poder são quase sempre civis inocentes, ou o que é pior neste caso, crianças. Sempre foi assim. Quem não se lembra daquela famosa e triste foto da menina correndo nua com o corpo queimado no Vietnã? Essa foto tem mais de 40 anos e parece que nós, como humanidade, ainda não aprendemos nada. Nosso festival é um chamado à ação e ao mesmo tempo um pedido de paz. Nosso tom é de esperança, pois vamos levar ajuda às crianças, que vão sempre representar o desejo de um futuro melhor”.

Créditos: Razões para Acreditar

Foto: Divulgação

9 frutas e verduras que você compra uma vez e replanta sempre

Algumas frutas e verduras são tão práticas de se cultivar em casa que, se você começar, nunca mais vai querer comprá-las em supermercados. Outras são mais trabalhosas e demoram – mas o trabalho vale a pena quando você ver a primeira delas crescer!

O inegável é que investir na jardinagem desses queridinhos da cozinha não só significa economia de dinheiro, como também se torna um hobby prazeroso e divertido. Se você tem interesse em criar um jardim só seu, confira nossa lista de nove alimentos que você pode plantar a partir das sobras e sementes que você costuma jogar fora, por grau de dificuldade:

Fáceis

Manjericão (e outros temperos)

Fácil de replantar, você só precisa de uma haste de tamanho razoável. Retire as folhas mais baixas e coloque a haste em um copo com as folhas que sobraram acima do nível da água. Deixe a planta em uma área iluminada, mas sem luz direta. As raízes deverão se formar em alguns dias e quando elas tiverem alguns centímetros você pode transplantá-las para solo!

Pimentas

Vários tipos de pimentas podem ser replantados a partir das sementes que sobram. Quando for cozinhar, separe as sementes das habañeros e jalapeños, por exemplo. Coloque-as em solo fértil em um espaço com bastante luz solar. A planta cresce rápido e não precisa de muito cuidado.

Gengibre

Escolha um gengibre com vários nós e plante-o em terra com o maior deles virado para cima. Ele deve ser cultivado em vasos ou jardins que não recebam luz solar direta. Fica pronto para colher de quatro a seis meses – é só puxar a planta inteira, incluindo as raízes, e depois replantar outro pedaço!

Cebolinha, alho-poró e capim-limão

Corte o ramalhete das plantas na altura de dez centímetros acima da raiz. Em seguida, coloque-o em um copo cheio de água e próximo a uma janela ensolarada. Ele vai começar a crescer e você pode escolher plantá-lo ou continuar cultivando-o no copo.

Cebolas

Plante uma parte da cebola com a raiz para baixo. As raízes vão regenerar – assim que elas aparecerem, você pode puxar a cebola usada para o replantio, com muito cuidado. Em pouco tempo você terá cebolas novas para cozinhar.

Difíceis

Abacaxi

Todo replantio começa com algo bom: coma o abacaxi. Mas guarde a coroa! Remova as folhas da base e coloque a coroa em água. Em aproximadamente 10 dias as raízes aparecem e em três semanas elas já estarão completamente formadas. Quando isso acontecer, transfira-o para o jardim. Em 18 meses você poderá colher um abacaxi para chamar de seu – e repetir o processo com ele.

Batata e batata doce

Separe a parte da batata que tiver um “olho” – aquele pedacinho áspero de raiz – ou mais. Antes do plantio, os pedaços de batata precisam ficar alguns dias em temperatura ambiente para secar. Quando estiverem completamente secos é só plantar, com bastante distância entre os pedaços. Lembre-se de que depois da colheita a batata doce precisa ser armazenada em um local quente e seco por até duas semanas antes do consumo – é isso que faz delas doces.

Tomate

Só as sementes já são suficientes para plantar tomates. Seque-as em uma toalha de papel e coloque-as em um vaso para que seus tomateiros comecem a crescer dentro de casa. Quando a planta já estiver alguns centímetros para fora da terra, coloque-a em uma área ensolarada.

Maçãs

Se você tem bastante espaço no quintal e gostar muito de maçãs, também pode plantar sua própria macieira. Depois de comer a fruta, deixe as sementes para secar e plante-as, lembrando que nem todos os tipos de maçã crescerão em todos os climas. Demora alguns anos até você pode aproveitar sua própria fruta, mas a espera vale a pena!

Artigo publicado originalmente em Planeta Sustentável

Ação social: IT Universe e o Lar Abrigo Saint Germain

O Lar Abrigo Saint Germain oferece atendimento socioeducativo às crianças e adolescentes de 0 a 17 anos e 11 meses, vítimas de abandono, maus tratos e orfandade, encaminhadas pelas Varas da Infância e Juventude e pelos Conselhos Tutelares.

O Abrigo é medida provisória e excepcional, utilizável como forma para a colocação em família substituta ou reintegração à família natural, não implicando em privação de liberdade.

Atuando na área da Infância e da Juventude há 7 anos, o Lar Abrigo Saint Germain atende anualmente em média 20 crianças e adolescentes, priorizando a preservação dos vínculos familiares e reintegração dos mesmos na comunidade (inclusão social), possibilitando oportunidades para o exercício da cidadania através do entendimento de suas responsabilidades e direitos.

Ciente de sua responsabilidade social e sempre engajada em projetos que visam a valorização de pessoas, a IT Universe envolveu seus colaboradores em um projeto para levantar doações para o abrigo.

Brinquedos, alimentos e produtos de higiene pessoal estão entre os itens arrecadados, na ação que contou com a participação de todo o time.

A entrega foi realizada pessoalmente, representada pela equipe de Recursos Humanos, que teve a oportunidade de passar uma tarde com as crianças do abrigo levando não apenas as doações, mas também o carinho de toda a empresa.

Inspire-se com as fotos e ajude você também:

Lar Abrigo Saint Germain
Site: http://larsaintgermain.org.br/
Telefone: +55 11 3906-8474
E-mail: contato@larsaintgermain.org.br

 

 

Ação Social: IT Universe e ABADS

A Associação Brasileira de Assistência e Desenvolvimento Social – ABADS (antiga Pestalozzi de São Paulo) tem mais de 60 anos de atuação. É uma Instituição Filantrópica, de utilidade pública Federal, Estadual e Municipal, que atende crianças e jovens (de 0 a 22 anos) com deficiência intelectual e autismo, nas áreas de saúde, educação, assistência social e emprego apoiado.

As ações desenvolvidas pela ABADS são referências para a construção de uma sociedade inclusiva (mostrando sua importância no cenário do terceiro setor), pois promovem disseminação de informações, suporte às famílias e formação de profissionais. Dentre as inúmeras atividades de inclusão que a ABADS desenvolve está um projeto inovador – o Emprego Apoiado – desenvolvido pela instituição desde o ano de 2006, onde mais de 200 jovens com deficiência intelectual e autismo foram incluídos no Mercado de trabalho. Sucesso na Inclusão Social!

Como forma de apoio ao Nosso Universo, a IT Universe empresa brasileira de TI, realizou a doação de computadores para as mais de 850 crianças atendidas pela instituição.

Assim como a IT Universe, você também pode colaborar. Visite o site http://www.abads.org.br ou ligue para (11) 2905-3045 e ajude!

Existem várias formas de ajudar a ABADS realizar esse trabalho maravilhoso e auxiliar no tratamento que tantas crianças e jovens necessitam para serem mais independentes e felizes.

O ambiente da ABADS é excelente! Veja as fotos da visita: