Um ano após campanha de Natal, asilo no Paraná continua recebendo doações e visitas

campanha de arrecadação de presentes de Natal para os velhinhos do Asilo São Vicente de Paulo, na cidade de Lapa (PR) completou um ano.  Voluntários do asilo tiraram fotos dos idosos segurando um quadrinho com seu pedido de natal. Coisas bem simples: um caderno de desenho, uma caixa de lápis, um boné…

Os voluntários postaram as fotos nas suas próprias redes sociais, já que na época o asilo não tinha páginas ou perfis. Depois que as fotos se espalharam, as doações começaram a chegar de pessoas de várias regiões do Brasil e até do exterior. Dezenas de itens, especialmente os de higiene, como pastas de dente e sabonetes, foram estocados.

“Recebemos doações até de fora do Brasil. Veio um calçado de Israel, de uma pessoa que viu as fotos no Facebook e fez a remessa. Também recebemos roupas de uma pessoa que mora na Alemanha”, disse o voluntário Cláudio Rodrigues Calsavara ao PARANÁPORTAL.

Mas, as doações não pararam de chegar, pelo contrário. Vários doadores continuaram ajudando o asilo durante este ano. “Um exemplo: a menos de uma semana, recebemos uma ligação de uma pessoa sobre as fotos da campanha. Explicamos que eram do Natal passado. Logo depois, recebemos um e-mail desta pessoa informando que ela havia realizado um depósito na conta do lar como doação”, comemora Cláudio.

Graças à campanha, o asilo ganhou uma visibilidade que antes não tinha. Mais pessoas pareceram querendo conhecer o local e muitas se tornaram voluntárias. Segundo o voluntário, dez pessoas seguem fazendo doações regularmente. Atualmente, o asilo abriga 39 idosos: 20 homens e dez mulheres.

A repercussão foi tão positiva, que eles os voluntários do asilo não planejam repetir a ação. “Talvez apenas um Natal solidário, pedindo doações de alimentos, que é o que mais faz falta”, explica Cláudio. “Nós só temos a agradecer a solidariedade de diversas pessoas, com doações individuais, campanhas diversas, visitas, trabalhos voluntários, convênios com órgão público têm permitido uma melhor qualidade de vida aos nossos idosos.”

O que o asilo mais precisa agora são doações de itens que possam ser estocados e reaproveitados. Entre os itens que os velhinhos esperam receber, estão produtos de higiene pessoal, roupas, que além de doadas aos idosos, são vendidos no bazar do asilo, e alimentos, principalmente café, maionese, macarrão, quirera, leite condensado, sagu e canjica.

As doações podem ser feitas direto no asilo ou enviadas pelo correio, para o endereço Rua Barão do Rio Branco, número 440, Lapa, Paraná. O CEP de lá é 83750-000. Já as doações em dinheiro podem ser depositadas na conta do asilo, basta entrar em contato pelo telefone (41) 3622-3362 ou visite a página do asilo.

Com informações do PARANÁPORTAL

Fotos: Asilo São Vicente de Paulo
Via: Razões para acreditar

Caixa do Walmart oferece ajuda a senhor e lembra: “Nós esquecemos de como amar uns aos outros”

Após 40 anos, ex-alunos se reencontram para fazer mutirão no colégio onde estudaram em Goiânia

Um grupo de ex-alunos do Colégio Estadual Olavo Bilac, em Goiânia, se reencontrou num mutirão após 40 anos para melhorar a aparência da escola onde se conheceu e estudou junto.

A ideia surgiu depois que a ex-estudante Patrícia Mendonça precisou ir até a escola pegar um documento. A escola que ela encontrou estava bem diferente da que conheceu em 1997.

Em meio à saudade dos tempos de escola, surgiu o desejo de fazer reparos para que o colégio se tornasse um lugar melhor para quem estuda lá hoje. “Procurei duas amigas, Valéria e Maria Helena, para nós irmos atrás dos outros colegas”, disse a aposentada à TV ANHANGUERA.

O mutirão aconteceu na manhã do sábado passado, dia 25. Foi feita a limpeza dos espaçosroçagem dos gramados dos jardins e canteirospoda de galhos e pintura das salas de aula. A iniciativa do grupo emocionou a diretora da escola

“Eles chegam e falam assim ‘eu sou da escola e vim aqui retribuir o que o colégio fez por mim’, isso nos impactou muito, nos emocionou, porque é algo inédito”, comemorou Ana Catarina de Araújo.

O grupo estudou no colégio nos anos 70, na sua primeira década de fundação. Andrey se lembra desse tempo com um aperto no coração, mas de saudade, e diz recordar do rosto de cada colega que dividiu as carteiras e bancos da escola com ele. “A carinha de cada um faz a gente retornar àquele tempo gostoso”, disse.

Desde então, a escola viu gerações de famílias passarem pelas suas salas de aula. Quando a vendedora Atiane Cândida, que é mãe de um dos alunos do colégio, soube da iniciativa dos ex-alunos, começou a providenciar o material para a pintura das salas de aula.

“A gente está trabalhando para a comunidade também, eu acho que é importante a gente passar isso para os filhos da gente”, afirmou a vendedora.

Atualmente, o Colégio Estadual Olavo Bilac tem 877 alunos matriculados, nos turnos matutino, vespertino e noturno. São estudantes da segunda fase do ensino fundamental e ensino médio. Mais de 60 funcionários, contando os professores e servidores administrativos, trabalham na unidade.

Com informações do G1

fotos: reprodução TV ANHANGUERA
Via: Razões para acreditar

Bombeiros terminam de colocar luzes de Natal na casa de pai que quebrou a perna após cair da escada

Um homem chamado Glenn Elvenholl, de Denver, no Colorado (EUA), sofreu um terrível acidente enquanto colocava as luzes de Natal do lado de fora da sua casa.

Glenn caiu direto no chão, quebrando a perna e deslocando o tornozelo. Os socorristas do departamento de bombeiros local chegaram rapidamente à cena para cuidar da lesão de Glenn e levá-lo para o hospital, onde ele poderia receber o tratamento adequado.

Tecnicamente, o trabalho dos bombeiros poderia terminar ali, mas eles fizeram muito mais do que sua obrigação. Alguns bombeiros permaneceram no local para terminar de colocar as luzes de Natal na casa de Glenn, já que ele não voltaria a subir na escada tão cedo.

Os bombeiros disseram que colocar as luzes era “a coisa certa a se fazer”, especialmente para as crianças que estavam preocupadas com a lesão do pai. Um gesto que, definitivamente, simboliza o espírito natalino!

Com informações do Little Things

fotos: reprodução KDVR Denver