Brasileira lança aplicativo para alfabetização de crianças com autismo

Com sua fundação nos Estados Unidos, ela desenvolveu um jogo interativo que estimula a compreensão e desenvolvimento da linguagem, um dos maiores desafios para aqueles que convivem com os autistas.

Familiares e educadores que lidam com autistas recebem uma boa notícia neste 2 de abril, data em que se celebra o Dia Mundial de Conscientização do Autismo. Eles agora podem contar com um pequeno ajudante na estimulação da linguagem e alfabetização das crianças portadoras do transtorno do espectro autista (TEA), o Brainy Mouse (Rato Inteligente ou Rato Atrevido). Trata-se de um aplicativo para celulares e tablets (disponível para android e iOS), em formato de jogo, que de forma lúdica auxilia os pequenos neste processo de aprendizagem.

A brasileira Ana Sarrizo, presidente da Brainy Mouse Foundation, criou o aplicativo após 4 anos de pesquisa. Os resultados em grupos testes com crianças de Belo Horizonte e São Paulo têm sido muito satisfatórios. No mês passado, foi lançada uma versão em inglês e, agora, disponibilizam a versão em português.

O objetivo do jogo é trabalhar o desenvolvimento da linguagem porque este é justamente um dos maiores desafios para a educação dos autistas, no mundo inteiro. O jeito como pensam, assimilam e compreendem o mundo a sua volta é peculiar de tal forma que muitas vezes nem mesmo os familiares ou os educadores estão preparados para lidar.

“Imagine as dificuldades que já enfrenta um adulto autista, em um mundo que não está preparado para lidar com suas diferenças. Agora imagine um adulto autista e que ainda por cima não sabe ler e escrever”, explica a criadora do aplicativo Ana Sarrizo.

Estima-se que 3 milhões de brasileiros são autistas. Este dado é um reflexo do estudo divulgado pelo Center of Control and Prevetion, órgão ligado ao governo dos Estados Unidos, que aponta a incidência de 1 a cada 68 crianças. Além dos desafios da doença, o maior entrave ainda é o preconceito. Vem dar uma olhada na interface do jogo e se encante:

Como funciona

O game trabalha a leitura da esquerda para direita, formação de palavras usando sílabas, interação com cores, sons e outros “dispositivos cognitivos”, que ajudam o usuário a trabalhar seu desenvolvimento de forma lúdica. De forma bem interativa, a criança pode customizar seu ratinho, além de ser desafiada a conseguir “cheesecoin”, uma espécie de moeda virtual.

Uma das principais apostas do game é o dispositivo chamado “Rato Amigo”, que tem como objetivo trabalhar, de forma inconsciente, a atitude de pedir ajuda ao próximo, e assim estimular essa ação no dia a dia.

Como tudo começou

Em 2013, a pesquisadora Ana Sarrizo pensava apenas em contribuir com os portadores de TEA de Belo Horizonte, sua cidade natal. O resultado do projeto foi tão bem sucedido que um professor de Ana a aconselhou inscrever no prêmio Santander, do qual foi vencedor entre 17mil propostas voltadas para a educação. Com a premiação de R$ 100 mil e uma bolsa no curso de empreendedorismo da Babson College, uma das mais importantes do mundo, decidiu criar a Brainy Mouse Foudation, nos Estados Unidos, ficando mais próxima das mais importantes pesquisas sobre autismo.

O objetivo da Fundação é ajudar instituições do mundo inteiro, familiares e educadores, que já trabalham com crianças e adultos com TEA, produzindo games e ferramentas que vão auxiliá-los no seu progresso dia a dia. Para saber mais, basta clicar aqui.

Fotos: divulgação/razoesparaacreditar

Programa Feira Verde troca materiais recicláveis por alimentos

A cidade de Ponta Grossa, no Paraná, encontrou uma maneira de incentivar o descarte correto de pneus, que são um verdadeiro problema para o meio ambiente. Funciona assim: os moradores podem trocar pneus usados por frutas, verduras, legumes, ovos e mel, através do Programa Feira Verde.

O programa também inclui o descarte de materiais recicláveis e atualmente já existem 153 pontos de trocas desses materiais e 33 de pneus.

Para participar é fácil. Não precisa nem se inscrever! É só acessar o site do programa para ver o cronograma e os horários e ir até o local de troca. Em 2017, mais de 13 mil pessoas participaram do Feira Verde e 136 produtores e agricultura familiar abastecem o programa com os produtos que as pessoas recebem em troca.

Quatro associações de catadores de materiais recicláveis se beneficiam com o programa e existe um limite máximo de 20 quilos por pessoa.

A maneira perfeita de estimular as pessoas a pensarem no meio ambiente e de incentivar os pequenos agricultores familiares, que aumentam o seu mercado, assim como os catadores de materiais recicláveis.

Via

Ao invés de demitir, empresa alfabetiza auxiliares de limpeza

Nátaly Bonato é community manager da WeWork Paulista, um espaço de trabalho compartilhado, na Avenida Paulista, em São Paulo. Para resolver problemas de limpeza da unidade, Nátaly imaginou que um relatório seria o suficiente.

O relatório deveria ser preenchido pelos funcionários da limpeza todos os dias dizendo se a sala do cronograma tinha sido limpa e, caso não, colocar um comentário explicando o porquê.

“O relatório demorou 1 semana pra chegar e quando veio, o banheiro virou um caos. Não entendi nada e ai nos reunimos e a descoberta foi que 50% do time (terceirizado) era iletrado”, escreveu Nátaly no Facebook.

Ao invés de trocar a equipe, Nátaly teve uma ideia muito melhor: procurar nas escolas que fazem parte da WeWork alguém que pudesse alfabetizar os auxiliares de limpeza. Foi assim que ela conheceu a pedagoga Dani Araujo, da MasterTech, que topou o desafio.

As pessoas não são descartáveis. Eu não queria que alguém passasse pela minha vida sem ter o meu melhor, sem que eu pudesse tentar. Então, eu não queria que eles saíssem daqui um dia e continuassem tendo aquelas profissões por que eles não tinham escolha”, disse Nátaly em entrevista ao Razões para Acreditar.

As aulas aconteciam às terças e quintas-feiras, no horário de almoço, e duravam 1 hora e meia.  “Foi ousado participar desse projeto. Não tinha experiência com letramento para adultos. Vibrei e chorei com cada conquista que fazíamos juntos, me sinto privilegiada pelo aprendizado que eles me proporcionaram”, afirmou a pedagoga, que continuou dando as aulas mesmo depois de se desligar da MasterTech.

Cinco meses depois, Irene, Neuraci e ‘Madruga’ já conseguiam escrever uma carta. Para celebrar essa conquista, Nátaly e seu time organizaram uma formatura surpresa. “Na hora que eu vi eles vindo de beca, eu comecei a desfalecer de chorar e não só eu! Todo mundo. A gente fez na área comum da WeWork”, lembra Nátaly. “Foi muito incrível mesmo. Acho que é a melhor experiência da minha vida”.

Via

Um ano após campanha de Natal, asilo no Paraná continua recebendo doações e visitas

campanha de arrecadação de presentes de Natal para os velhinhos do Asilo São Vicente de Paulo, na cidade de Lapa (PR) completou um ano.  Voluntários do asilo tiraram fotos dos idosos segurando um quadrinho com seu pedido de natal. Coisas bem simples: um caderno de desenho, uma caixa de lápis, um boné…

Os voluntários postaram as fotos nas suas próprias redes sociais, já que na época o asilo não tinha páginas ou perfis. Depois que as fotos se espalharam, as doações começaram a chegar de pessoas de várias regiões do Brasil e até do exterior. Dezenas de itens, especialmente os de higiene, como pastas de dente e sabonetes, foram estocados.

“Recebemos doações até de fora do Brasil. Veio um calçado de Israel, de uma pessoa que viu as fotos no Facebook e fez a remessa. Também recebemos roupas de uma pessoa que mora na Alemanha”, disse o voluntário Cláudio Rodrigues Calsavara ao PARANÁPORTAL.

Mas, as doações não pararam de chegar, pelo contrário. Vários doadores continuaram ajudando o asilo durante este ano. “Um exemplo: a menos de uma semana, recebemos uma ligação de uma pessoa sobre as fotos da campanha. Explicamos que eram do Natal passado. Logo depois, recebemos um e-mail desta pessoa informando que ela havia realizado um depósito na conta do lar como doação”, comemora Cláudio.

Graças à campanha, o asilo ganhou uma visibilidade que antes não tinha. Mais pessoas pareceram querendo conhecer o local e muitas se tornaram voluntárias. Segundo o voluntário, dez pessoas seguem fazendo doações regularmente. Atualmente, o asilo abriga 39 idosos: 20 homens e dez mulheres.

A repercussão foi tão positiva, que eles os voluntários do asilo não planejam repetir a ação. “Talvez apenas um Natal solidário, pedindo doações de alimentos, que é o que mais faz falta”, explica Cláudio. “Nós só temos a agradecer a solidariedade de diversas pessoas, com doações individuais, campanhas diversas, visitas, trabalhos voluntários, convênios com órgão público têm permitido uma melhor qualidade de vida aos nossos idosos.”

O que o asilo mais precisa agora são doações de itens que possam ser estocados e reaproveitados. Entre os itens que os velhinhos esperam receber, estão produtos de higiene pessoal, roupas, que além de doadas aos idosos, são vendidos no bazar do asilo, e alimentos, principalmente café, maionese, macarrão, quirera, leite condensado, sagu e canjica.

As doações podem ser feitas direto no asilo ou enviadas pelo correio, para o endereço Rua Barão do Rio Branco, número 440, Lapa, Paraná. O CEP de lá é 83750-000. Já as doações em dinheiro podem ser depositadas na conta do asilo, basta entrar em contato pelo telefone (41) 3622-3362 ou visite a página do asilo.

Com informações do PARANÁPORTAL

Fotos: Asilo São Vicente de Paulo
Via: Razões para acreditar

Caixa do Walmart oferece ajuda a senhor e lembra: “Nós esquecemos de como amar uns aos outros”

Após 40 anos, ex-alunos se reencontram para fazer mutirão no colégio onde estudaram em Goiânia

Um grupo de ex-alunos do Colégio Estadual Olavo Bilac, em Goiânia, se reencontrou num mutirão após 40 anos para melhorar a aparência da escola onde se conheceu e estudou junto.

A ideia surgiu depois que a ex-estudante Patrícia Mendonça precisou ir até a escola pegar um documento. A escola que ela encontrou estava bem diferente da que conheceu em 1997.

Em meio à saudade dos tempos de escola, surgiu o desejo de fazer reparos para que o colégio se tornasse um lugar melhor para quem estuda lá hoje. “Procurei duas amigas, Valéria e Maria Helena, para nós irmos atrás dos outros colegas”, disse a aposentada à TV ANHANGUERA.

O mutirão aconteceu na manhã do sábado passado, dia 25. Foi feita a limpeza dos espaçosroçagem dos gramados dos jardins e canteirospoda de galhos e pintura das salas de aula. A iniciativa do grupo emocionou a diretora da escola

“Eles chegam e falam assim ‘eu sou da escola e vim aqui retribuir o que o colégio fez por mim’, isso nos impactou muito, nos emocionou, porque é algo inédito”, comemorou Ana Catarina de Araújo.

O grupo estudou no colégio nos anos 70, na sua primeira década de fundação. Andrey se lembra desse tempo com um aperto no coração, mas de saudade, e diz recordar do rosto de cada colega que dividiu as carteiras e bancos da escola com ele. “A carinha de cada um faz a gente retornar àquele tempo gostoso”, disse.

Desde então, a escola viu gerações de famílias passarem pelas suas salas de aula. Quando a vendedora Atiane Cândida, que é mãe de um dos alunos do colégio, soube da iniciativa dos ex-alunos, começou a providenciar o material para a pintura das salas de aula.

“A gente está trabalhando para a comunidade também, eu acho que é importante a gente passar isso para os filhos da gente”, afirmou a vendedora.

Atualmente, o Colégio Estadual Olavo Bilac tem 877 alunos matriculados, nos turnos matutino, vespertino e noturno. São estudantes da segunda fase do ensino fundamental e ensino médio. Mais de 60 funcionários, contando os professores e servidores administrativos, trabalham na unidade.

Com informações do G1

fotos: reprodução TV ANHANGUERA
Via: Razões para acreditar

Joalheria que faz produtos com lascas de parede só contrata mulheres em situação de rua

O reaproveitamento de materiais é uma solução extremamente inteligente e criativa para que a gente viva em um mundo mais sustentável e menos consumista. Mas você já imaginou que seria possível reaproveitar aquelas lascas de parede velha depois que se soltam e caem no chão? Pois é! Nem eu! Mas sim, é possível!

Os pedaços de parede são transformados em colares, anéis, brincos e braceletes e essa ideia genial foi da designer Amy Peterson, que vive em Detroit e desenvolveu a marca Rebel Nell, em 2012.

Mas o melhor de tudo é que ela só emprega mulheres em situação de rua, que além de terem suas vidas transformadas através da arte, recebem aulas de planejamento financeiro, com o objetivo de facilitar e impulsionar a saída delas dessa situação.

Até hoje a designer já empregou 15 mulheres, sendo que 6 delas reergueram-se e saíram da empresa para ir trabalhar em outros lugares! Isso não é incrível?

E não para aí! Para os próximos anos, Amy pretende expandir a “matéria-prima” , importando pedaços de muro de outras cidades do mundo! Eu quero um para já!

Saca só o vídeo e veja como esse trabalho é importante e lindo!

Crédito de fotos: Rebel Nell – divulgação – Com informações de The Greenest Post
Via: Razões para acreditar

Bombeiros terminam de colocar luzes de Natal na casa de pai que quebrou a perna após cair da escada

Um homem chamado Glenn Elvenholl, de Denver, no Colorado (EUA), sofreu um terrível acidente enquanto colocava as luzes de Natal do lado de fora da sua casa.

Glenn caiu direto no chão, quebrando a perna e deslocando o tornozelo. Os socorristas do departamento de bombeiros local chegaram rapidamente à cena para cuidar da lesão de Glenn e levá-lo para o hospital, onde ele poderia receber o tratamento adequado.

Tecnicamente, o trabalho dos bombeiros poderia terminar ali, mas eles fizeram muito mais do que sua obrigação. Alguns bombeiros permaneceram no local para terminar de colocar as luzes de Natal na casa de Glenn, já que ele não voltaria a subir na escada tão cedo.

Os bombeiros disseram que colocar as luzes era “a coisa certa a se fazer”, especialmente para as crianças que estavam preocupadas com a lesão do pai. Um gesto que, definitivamente, simboliza o espírito natalino!

Com informações do Little Things

fotos: reprodução KDVR Denver

30 Atos de gentileza mostrando que o mundo pode ser melhor, se você quiser

Estamos cansados de visitar sites de notícias ou ligar a TV e ver coisas ruins acontecendo todos os dias, onde a maioria delas é causada por humanos.

Infelizmente o mundo está cheio de pessoas ruins e parece que nada podemos fazer quanto a isso, mas será que demonstrar e compartilhar atos de amor e generosidade ajudam um pouco?

Bom, acho que não custa tentar. Isso, muitas vezes é de graça!

1 – Uma jovem egípcia ajuda um filho de vendedor de rua a aprender a ler

atos-bondade-1

2 – Um estudante virou uma cadeira humana para uma senhora que precisava sentar quando eles ficaram presos num elevador

atos-bondade-2

3 – Essa pessoa impediu que o carro do seu vizinho fosse encharcado

“Você deixou a janela aberta, então coloquei um saco nela para manter o interior do carro seco. Tenha um bom dia! Do seu amigável vizinho, Gilligan”

atos-bondade-3

4 – Este homem lê todos os dias na hora do almoço para um colega de trabalho que não pode ler

atos-bondade-4

5 – Essa ação no dia dos namorados

Flores grátis para alguém que você ama

atos-bondade-5

6 – Um homem deixou de correr para pegar o trem para ajudar essa senhora com suas malas

atos-bondade-6

7 – O dono de um falecido cachorro que adora os animais e quer lembrar as pessoas de aproveitarem cada momento com seus cães

“Em memória de Phoebe

Por favor, pegue uma bola de tênis para seu cachorro se divertir. Você pode colocá-la de volta na caixa para que outros cães brinquem também. Lembre-se de viver cada momento como o seu cachorro: com amor incondicional, lealdade e alegria.”

atos-bondade-7

8 – Este senhor pegou uma grande guarda-sol da mesa mais próxima para ajudar essas senhoras a chegarem no carro

atos-bondade-8

9 – O homem que ensina novamente o alfabeto à sua esposa depois dela ter perdido a memória devido a um AVC

atos-bondade-9

10 – Essa mulher comprou duas refeições para compartilhar um momento com um morador de rua

atos-bondade-10

11 – Um bombeiro arriscou a vida para salvar o amado gato de uma senhora

atos-bondade-11

12 – Esse espanhol viu seu oponente reduzir a velocidade por achar que tinha cruzado a linha de chegada…

atos-bondade-12

…e ao invés de ultrapassá-lo, o guiou para o fim da corrida. “Como ele não fala espanhol, não entendia quando todo mundo dizia para ele continuar correndo”

atos-bondade-12-1

13 – Um senhor ajudando uma tartaruga a atravessar a avenida em segurança

atos-bondade-13

14 – Esse corajoso policial se algemou a uma mulher que queria se suicidar e jogou a chave fora para certificá-la de que ela não morreria sozinha. Este ato a convenceu a mudar de ideia (wow!!!)

atos-bondade-14

15 – Um barbeiro de 82 anos leva sua cadeira e ferramentas para uma parque toda quarta-feira…

atos-bondade-15

…seu pagamento? Um simples abraço

atos-bondade-15-1

16 – Cameron Lyle era uma estrela de atletismo da faculdade…

atos-bondade-16

…mas desistiu da chance de competir na final pela qual treinou por 8 anos…

atos-bondade-16-1

…quando descobriu que sua medula óssea era compatível com a de um homem de 28 anos que sofria de leucemia

atos-bondade-16-2

17 – A multidão se unindo para ajudar um cadeirante durante o Laneway Festival, em Melbourne

atos-bondade-17

18 – Este homem que avistou um bebê golfinho encalhado…

atos-bondade-18

…e o ajudou a voltar ao mar

atos-bondade-18-1

19 – Essa loja que disponibiliza pontos de energia para as pessoas carregarem seus celulares na rua

Você pode carregar seu celular, se você quiser

atos-bondade-19

20 – O policial que ajuda além de suas funções

atos-bondade-20

21 – Esse menino ganhou um grande concurso de caça ao tesouro, que teve o trabalho de um verão inteiro…

atos-bondade-21

…e doou o prêmio para sua pequena vizinha, que lutava contra leucemia. “Quanto de quimioterapia 1.000 dólares pode comprar?”, perguntou à mãe da garota

atos-bondade-21-1

22 – Esse cara encontrou as economias de 5 mil dólares de uma senhora dentro da sua geladeira jogada no lixo e devolveu todo o dinheiro pessoalmente

atos-bondade-22

23 – O motociclista que parou para ajudar um idoso a atravessar a rua

atos-bondade-23

24 – O mendigo que percebeu que um anel de noivado de diamante havia caído em seu copo…

atos-bondade-24

…e aguardou a dona voltar para devolver. O casal lançou uma campanha que arrecadou dinheiro suficiente para ajudá-lo a se reerguer

atos-bondade-24-1

25 – Durante um protesto, um cachorro foi atingido acidentalmente com gás lacrimogêneo e todos pararam para ajudá-lo

atos-bondade-25

26 – O cara que encontrou quatro coelhos bebês abandonados, levou-os para casa e cuidou deles até que estivessem prontos para partir

atos-bondade-26

27 – O homem que ficou descalço para ajudar o próximo

“Vi um homem sem sapatos no ônibus, quando um muçulmano entrou e sentou-se ao lado dele. O muçulmano tirou os sapatos e as meias e entregou-lhe, dizendo: ‘Eu não preciso deles e moro perto.’ Então desceu do ônibus antes que o homem pudesse dizer obrigado.” A segunda foto mostra ele indo embora com os pés descalços

atos-bondade-27

28 – O prefeito de Chicago, Rahm Emanuel, interrompeu a entrevista de emprego por telefone de uma moça para ajudar a recomendá-la

atos-bondade-28

29 – Os passageiros japoneses que se uniram para resgatar uma mulher que caiu debaixo do trem. Além de salvar uma vida, o trem se atrasou apenas por 8 minutos

atos-bondade-29

30 – No Brasil, mais precisamente na Bahia, em uma manifestação durante a greve da Polícia Militar, o general Gonçalves Dias pediu: “Por favor, não briguem, não no meu aniversário…”

atos-bondade-30

…pouco depois, um grupo de manifestantes o surpreendeu com um bolo

atos-bondade-30-1

Via: Tudo Interessante

O que aprendemos com as 10 cidades mais sustentáveis do mundo?

Cada cidade no mundo tem suas peculiaridades, suas dinâmicas, culturas, riquezas naturais e comportamentos de quem mora por lá. Mas uma coisa é comum a todas: a pressão em torno da sustentabilidade. Questão que vai além do meio ambiente e envolve uma série de fatores que nada mais são do que manejar adequadamente recursos disponíveis, levando em consideração a demanda atual e das gerações futuras.

A Arcadis, uma empresa global que presta consultoria em design, engenharia e gestão, publica anualmente o Índice de Cidades Sustentáveis da Arcadis, que classifica 100 cidades globais sob o que eles consideram como os três pilares da sustentabilidade: pessoas, planeta e lucro.

Mas o que podemos aprender com cada uma das 10 cidades mais sustentáveis do mundo?

cidades-sustentaveis-1

#1 Zurique

A cidade é uma referência em reciclagem e aproveitamento do lixo. Até o saco de lixo é cobrado por lá, então as pessoas tendem a produzir menos para também gastar menos. Obviamente, esses recursos arrecadados são manejados corretamente e revertidos para a população. Tudo por lá passa pela conscientização das pessoas, mas também pela infraestrutura que Zurique possui, incluindo zonas de reciclagem espalhadas por toda a cidade. A coleta nas residências é toda organizada e se o morador não descartar o lixo corretamente ele nem é retirado. Aqui é uma união de infraestrutura com cultura da população.

O que podemos aprender?

Se os nossos sacos de lixo fossem cobrados, será que não usaríamos menos? Vale a pena pensar o quanto a sua família gera de resíduos e ver se não é possível reduzi-los.

#2 Singapura

Um dos grandes destaques de Singapura é o gerenciamento da água, incluindo o seu reuso, captação e dessalinização. Depois de sofrer muito com a seca, a cidade-Estado desenvolveu um sistema próprio de gerenciamento da água, algo como uma marca de água de alta qualidade recuperada e produzida pelos órgãos públicos da cidade, projeto que já levou até prêmios internacionais. Todo o ciclo da água é processado: desde a coleta de água da chuva para a purificação e abastecimento até o tratamento da água utilizada.

O que podemos aprender?

Que o reuso da água pode começar dentro das nossas casas, utilizando por exemplo a água do banho no vaso ou a água que sai da máquina para limpar o pátio.

cidades-sustentaveis-2

#3 Estocolmo

O sistema de transporte público e integrado é uma das coisas que mais chama a atenção em Estocolmo. Com transporte público de qualidade, menos pessoas usam carros e menos poluição é emitida. Lá também há um incentivo muito forte para uso de bicicletas, com ruas totalmente adaptadas. O transporte inclui metrô, ônibus, trem e até barcos.

O que podemos aprender?

É certo que transporte público não é uma responsabilidade de nós cidadãos, mas dar uma carona para um amigo é sim. Quem sabe uma carona solidária todos os dias para o trabalho não diminua alguns carros na rua?

cidades-sustentaveis-3

#4 Viena

Um exemplo de cidade que pensa no futuro. Viena tem uso de tecnologia com destaque para o transporte público. A cidade criou uma linha de ônibus elétrico, que não utiliza nenhum combustível derivado do petróleo e também incentiva muito o uso de bicicletas, com investimento alto em ciclovias.

O que podemos aprender?

Hoje, 90% da população de Viena utiliza transporte público. Por aqui nós ainda temos muito a melhorar nesse quesito, mas com um pouco de planejamento dá para optar pelo ônibus ao invés de usar sempre o carro.

cidades-sustentaveis-4

#5 Londres

A cidade tem um dos metrôs mais movimentados do mundo, que hoje já produz parte da energia que consome a partir de seus freios. A energia produzida pelos freios dos trens é recolhida, reciclada e devolvida para a rede de alimentação de eletricidade das estações de metrô. Algumas delas já consomem a energia limpa pelo menos 2 vezes por semana.

O que podemos aprender?

Mais uma vez, o transporte público é destaque de uma cidade que se preocupa com sustentabilidade. Mas muito mais do que repensar o nosso dia a dia para usarmos ônibus e metrô, aqui também entra a importância da geração e consumo de energia no transporte público. Incentivar o governo a adotar práticas de uso renovável de energia nas nossas cidades é uma atitude que deve também partir de todos nós, para que assim possamos avançar na questão do consumo sustentável.

#6 Frankfurt

A cidade alemã é considerada uma das mais verdes do mundo por diversos motivos, mas um deles é o investimento em produção de energia renovável local. A cidade tem a meta de reduzir 10% das emissões de CO2 a cada 5 anos. Pensando nisso, o governo investe em várias questões: aumento da eficiência energética e conscientização da população para redução do consumo comercial e residencial.

O que podemos aprender?

Desligar as luzes é um hábito, portanto podemos desenvolver na nossa mente a atitude de desligar tudo toda vez que não estamos utilizando. Se cultivarmos essa atitude e ainda levarmos para outros ambientes, como o trabalho ou casa de amigos, a conscientização vai se proliferando.

#7 Seul

A cidade levou cinco anos, mas conseguiu dar vida a um rio que estava morto embaixo de ruas e viadutos. Foram removidas toneladas de concreto e ferro, que foram totalmente reciclados. O rio renovado e limpo resgatou toda a vegetação do local e trouxe muito mais verde para a cidade.

O que podemos aprender?

Temos tantos rios e lagos a nossa volta e muitas vezes, com nossas pequenas atitudes, podemos contribuir para um dia transformá-los. Não jogar lixo nos rios e também não ser omisso quando ver algo nesse sentido, é um bom início.

#8 Hamburgo

A cidade se destaca pelo foco em energias renováveis, já que abriga mais de 300 empresas que produzem energia solar, eólica, hidroeletricidade, geotermal e proveniente de biomassa.

O que podemos aprender?

Se as políticas referentes a energias renováveis são de responsabilidade do governo, o uso de algumas ferramentas podem ser de nossa responsabilidade. Que tal pesquisar mais sobre como implantar energia solar na sua casa ou no seu condomínio?

#9 Praga

Voltada ao turismo, Praga atrai também pela arquitetura local. Um dos grandes destaques é o Corte City Green, um conjunto de edifícios que foi construído levando em conta questões de conservação e sustentabilidade. O projeto ganhou a certificação LEED Platinum na República Tcheca, reduzindo drasticamente o consumo de energia. Algumas das medidas que levaram a isso foi a ventilação natural, a redução da vazão de água e coleta de águas pluviais, telhado verde, controle da qualidade do ar interior e utilização de materiais locais e reciclados.

O que podemos aprender?

Construções sustentáveis não são uma grande novidade. Apesar de não possuem muito incentivo nas cidades brasileiras, é possível adotar várias medidas “verdes” se você mora em um condomínio. A coleta de água é uma delas. Pesquise sobre o assunto e proponha em seu condomínio!

#10 Munique

Em termos de geração de energia limpa a cidade é uma das referências mundiais. Até 2025, a cidade planeja ser totalmente abastecida por energia renovável. São vários os projetos em andamento para que isso aconteça, como a instalação de uma usina hidrelétrica no Rio Isar.

O que podemos aprender?

Criatividade é uma das principais características do brasileiro. Usar todo esse potencial para criar novas formas de energia limpa seria uma boa saída. Hoje já existem até geradores de energia eólica construídos de forma caseira. Soluções existem, basta pesquisar e colocar em prática.

Via: Wikihaus